terça-feira, 13 de março de 2012

A Doce Rubro-Negra

Amigos, os quatro mil tricolores que invadiram Buenos Aires na semana passada estavam dotados de clarividência. Sim, não tenho receio de afirmar que cada um dos fãs do time das três cores que traduzem tradição, ao despencar de toda parte do Brasil para pousar, em êxtase e entusiasmo, na capital portenha, sabia - por uma dessas intuições que só visitam os apaixonados, os revolucionários, os loucos – que o Fluminense venceria o duelo contra o imponente rival xeneize, o temível Boca Juniors.

A massa tem um diferente tipo de raciocínio, o raciocínio da intuição animal, que pressente a hora exata de agir, de se expor e se impor. E foi com esse espírito, de tocha vitoriosa à mão, que fizemos um espetáculo glorioso nas míticas arquibancadas da Bomboneira. Os jornais argentinos, no dia seguinte, em suas manchetes trágicas e maliciosas como a língua do tango, não cansaram de exaltar o time, os craques e a operística participação da hinchada verde, branco e grená.

Relembro agora de nossa façanha recente, pois, ontem, recebi um e-mail da Doce Rubro-Negra. Todos sabem da rivalidade familiar, feroz, que existe entre Flamengo e Fluminense. E, também, que são torcidas que agregam toda a gente, são torcidas híbridas, multiétnicas, indo do pé-rapado mais absoluto ao empedernido tubarão federal. Contudo, jamais se cantou a doçura da torcida flamenguista. Sempre se louvou a raça, a empáfia, o fanatismo, a intransigência, a gana dos urubus.

Mas eis que surge uma Doce Rubro-Negra! Sim, amigos, uma flamenguista com ares tricolores! Que me enviou uma mensagem com as seguintes palavras: “Sr. Nelson, com aquele placar e com aquela beleza de torcida, até eu, que sou flamengo, dei parabéns aos tricolores! Aliás, parabéns!” Que tom e que palavras de compreensão cósmica da paixão clubística, Doce Rubro-Negra! Flamengo e Fluminense são - verdade para se repetir mil vezes - os Irmãos Karamazov do futebol, se amam e se odeiam igualmente!

Texto produzido para o blog: http://nazagaenasartes.wordpress.com/

2 comentários: